TOXICIDADE E CARCINOGENICIDADE DE AMOSTRAS DE ÁGUA COLETADAS DA REPRESA LAJINHA, MONTE CARMELO, MG, BRASIL

Autores

  • Adriano Araújo Gomide Fundação Carmelitana Mário Palmério
  • Jéssica Soares Vieira
  • Pedro Paulo Martins da Silva
  • Denise Dias Alves Cocco
  • Francine Borges Silva
  • Cássio Resende de Morais

Resumo

A água é de suma importância para a manutenção da vida. Influencia diretamente no clima de uma região, tem grande influência sobre o ecossistema, e é um recurso natural indispensável na produção de alimentos, energia e também nas atividades fundamentadas no saneamento básico. Embora este recurso seja encontrado em abundância em nosso planeta, somente 4% da água é doce, sendo que esta ao longo dos anos está sendo alvo de impactos ambientais de origem antrópica. Ensaios biológicos são de grande importância no rastreio da genotoxicidade, mutagenicidade e carcinogenicidade de poluentes ambientais presentes em misturas complexas e tendem a refletir o real risco de diferentes químicos para espécies nativas. No intuito de verificar se a represa Lajinha apresenta condições para uso sustentável pela população local, o presente trabalho tem como objetivo avaliar o potencial carcinogênico de diferentes pontos da represa, por meio do Teste para Detecção de Tumor Epitelial em células somáticas em Drosophila melanogaster. Para avaliar o efeito carcinogênico de amostras da represa Lajinha, Larvas de 3° estágio descendentes do cruzamento entre fêmeas virgens wts/TM3, sb¹ e machos mwh/mwh foram tratadas com diferentes amostras do efluente. A toxicidade das amostras da represa, foram mensuradas por meio da taxa de moscas que sobreviveram a etapa de metamorfose após exposição. Todas as amostras testadas (P1, P2 e P3) desempenharam efeito tóxico para D. melanogaster. Não foi constatado efeito carcinogênico em nenhum dos pontos da represa Lajinha, testados neste trabalho. PALAVRAS-CHAVE: Drosophila melanogaster; Poluição; Teste wts

Downloads

Publicado

19/11/2018