INTERVENÇÕES PSICOEDUCATIVAS PARA PACIENTES COM LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

Autores

Resumo

A Psicoeducação tem conquistado de forma acelerada espaço na área da saúde, por ser um tipo de intervenção que emprega técnicas psicopedagógicas para informar, orientar e ensinar pacientes sobre suas próprias doenças e como lidarem com elas. Evidências tem mostrado a importância dessa intervenção na melhora psicológica e física de pacientes principalmente aqueles que são portadores de doenças crônicas. No entanto, a literatura nesta área ainda é muito escassa. Objetivo: Revisar de forma sistemática, no contexto nacional e internacional, desenhos, amostras, procedimentos e resultados de estudos que utilizaram intervenções psicoeducativas sobre Lúpus Eritematoso Sistêmico com pacientes que sofrem dessa condição. Método: A presente revisão sistemática limitou sua busca aos anos de 2001 a 2021. Três bases de dados foram utilizadas, Lilacs, SciELO e Pubmed. As palavras-chave incluídas foram em português: Psicoeducação, Intervenção Educativa, Psicoterapia AND Lúpus Eritematoso Sistêmico, e em inglês Psychoeducation, Educational Intervention, Psychotherapy AND Systemic Lupus Erythematosus. Os critérios de inclusão consistiram: (1) idiomas português e inglês; (2) estudos comparativos; (3) grupos com no mínimo 8 participantes; (4) intervenções com no mínimo um grupo experimental com portadores de LES adolescentes, jovens e/ou adultos; (5) intervenção psicoeducativa sobre LES; e (6) intervenções, avaliações e resultados claramente especificados. Resultados: No total, foram encontrados 43 estudos, dentre eles cinco foram condizentes com os critérios de inclusão e selecionados, sendo que nenhum desses artigos foram encontrados na literatura nacional. Apenas um estudo foi randomizado controlado. Mulheres foram predominantes em todos os grupos dos estudos encontrados, apenas dois tiveram uma percentagem mínima de homens (8,8% e 4%). As intervenções tiveram abordagens teóricas, procedimentos, instrumentos variáveis. Os resultados das intervenções psicoeducativas com pacientes portadores de LES apontaram melhoras principalmente nos índices de depressão, ansiedade, disfunção social, enfrentamento da doença e qualidade de vida global. Conclusão: Estes resultados apresentaram escassez de estudos nesta área, principalmente no âmbito nacional. Apesar dessa escassez, os poucos estudos encontrados na literatura internacional sugeriram que a psicoeducação para pacientes com Lúpus Eritematoso Sistêmico pode ser benéfica em intervenções de curto e longo prazo.

Biografia do Autor

Steffany Aguillera de Oliveira Landivar, UFMS

Estudos voltados a área da Psicoeducação como estratégia de intervenção de saúde. a Pesquisa surge a partir de inquietação em descobrir tratamentos terapêuticos que não só trazem informações sobre diversas patologias, mas que também incluem aspectos emocionais, proporcionando melhorar as formas de manejo de doenças, para enfrentar as diversas situações da vida.

Downloads

Publicado

09/05/2022